:: Pegadas de Lampião (Documental)

11 de novembro de 2009 por Ricardo Bastos

rb_web

“Ai seu doutor Quem matou foi o senhor ….

Não foi ele,  quem só fez atirar

Foi o juiz e o promotor

Quem matou foi a fome

E a justiça dos homens

(Trecho do samba pelo personagem Tião em Teresa Batista Cansada de Guerra)

Pegadas de LA

pegadas_de_lampiao_2008_14
pegadas_de_lampiao_2008_75

Qualquer documentação que tenha ligação com o cangaço deve ser valorizada, principalmente em razão de que a importância do fenômeno social ocorrido nas caatingas nordestinas traduz a essência da busca pela compreensão da dimensão regional de uma forma holística e qualquer abordagem realista da análise organizacional deve ser iniciada a partir da premissa de que as organizações podem ser muitas e complexas ao mesmo tempo.

pegadas_de_lampiao_2008_17

pegadas_de_lampiao_2008_58

Administradores e teóricos das organizações tentam anular esta complexidade, assumindo a posição de que estas são fenômenos racionais que precisam ser compreendidos em função dos seus objetivos e metas, visão que quase sempre impede o caminho de uma análise realista

Pegadas de Lampião  Xique Xique  PE

pegadas_de_lampiao_2008_70

Entre o final do século XIX e começo do XX (início da República), surgiram, no nordeste brasileiro, grupos de homens armados conhecidos como cangaceiros. Estes grupos apareceram em função, principalmente, das condições sociais da região nordestina.

Pegadas de Lampião  Xique Xique  PE

pegadas_de_lampiao_2008_79

Não encontrando soluções para sobrevivência, ao homem nordestino restava a pouca esperança, crescia a apatia de sentimentos ao observar a miséria à sua volta. Muitos levados ao desespero tendiam a enveredar pelos caminhos da violência para escapar da realidade gerada pelo latifúndio, que concentrava terra e renda nas mãos dos fazendeiros, deixado às margens da sociedade a maioria da população.

pegadas_de_lampiao_2008_56

Pegadas de Lampião  Xique Xique  PE

Podemos descrever o bando de Lampião como sendo uma organização de homens que lutam pela sobrevivência do grupo. Esta questão está relacionada para necessidade de se efetuar algum tipo de avaliação crítica dos resultados da leitura. De modo bastante claro, tal avaliação irá depender do ponto de vista que se empresta a análise, ou seja, do ponto de vista gerencial certamente algumas descobertas são mais úteis do que outras.

pegadas_de_lampiao_2008_33

Pegadas de Lampilão  Xique Xique  PE

pegadas_de_lampiao_2008_80

Lampião transmutou o cangaço “de honra” num modo de vida, numa profissão lucrativa e glamourosa, um meio para adquirir bens materiais, riquezas e uma notoriedade que lhe permitia obter respeito de parte da classe abastada da sociedade do sertão e de algumas personalidades da vida pública e política.pegadas_de_lampiao_2008_76
Pegadas de Lampião  Xique Xique  PE

Fotos registradas  na cidade pernambucana de Xique Xique, 20 km da terra natal de Lampião. Por cá passou Lampião e seu bando, pela caatinga do sertão .

pegadas_de_lampiao_2008_43

Pegadas de Lampião  caatinga  PE

ORAÇÃO DE CORPO FECHADO:

Quando foi morto em 1938, em Angicos (SE), foi encontrada nos seus pertences uma oração de corpo-fechado que ilustra mais uma vez a religiosidade do cangaceiro e a necessidade de ser protegido contra os males da vida terrestre e sobrenatural:

pegadas_de_lampiao_2008_42

Xique Xique  caatinga  PE

A oração dizia o seguinte: “Minha pedra cristalina, que no mar foste achada, entre o cálice e a hóstia consagrada. Treme a terra, mas não treme nosso Senhor Jesus Cristo no altar, Assim treme o coração dos meus inimigos Quando olharem pra eu …

vida na caatinga  Pernambuco

Com o manto da virgem Maria sou coberto, e com o sangue de meu senhor Jesus Cristo, sou valido. Tens vontade de atirar Porém, não atirar, e se mi atirar,Água pelo cano da espingarda escorrerá se estiver com vontade de mi furá a faca da mão cahirá … E se mi trancar, as portas abrirão Oferecimento : salvo fui, salvo sou, e salvo serei, com a chave do sacrário, eu mi fecho” . (Lampião, o Rei dos Cangaceiros)



5 comentários